BLOG

Você conhece a mastologia? Entenda melhor essa especialidade

A imagem mostra uma mulher, do ombro ao seio, com um estetoscópio pendurado em volta do pescoço e um laço rosa que representa a luta e prevenção contra o câncer de mama, pendurado a cima do bolso do jaleco.

Desde cedo, as mulheres aprendem que o médico responsável por cuidar de sua saúde, por toda a vida, é o ginecologista. Mas, existe uma outra especialidade, a chamada mastologia, que também possui um papel fundamental na preservação da saúde feminina, uma vez que o mastologista é o responsável pelos cuidados com as glândulas mamárias. Gostaria de saber mais informações sobre a mastologia? Então, continue acompanhando o post de hoje!

Principais características da mastologia

A mastologia é uma especialidade médica, voltada para os cuidados com a saúde das mamas. Além de examinar e diagnosticar possíveis doenças, o mastologista também é responsável por indicar as melhores formas de tratamento para os problemas desta região do corpo feminino.

Ao contrário do que muitas mulheres pensam, a mastologia não trata apenas o câncer de mama, mas sim todas as enfermidades que acometem as glândulas mamárias, como a presença de nódulos, distúrbios, assimetrias (quando os seios apresentam tamanhos diferentes) dores, secreção dos mamilos, infecções, entre outros.

A primeira etapa de uma consulta com o mastologista é uma anamnese, ou seja, uma série de perguntas feitas para analisar o histórico da paciente. Depois disso, é feito o exame clínico das mamas, através do toque. E quando necessário, são solicitados outros exames complementares, como a mamografia, o ultrassom e a ressonância das mamas.

Idas ao mastologista: qual a frequência?

Independente da idade, sempre que houverem dúvidas no autoexame das mamas, o mastologista deverá ser consultado. O recomendado pela Sociedade Brasileira de Mastologia é que o primeiro exame de mamografia seja feito aos 40 anos de idade, e que as visitas ao mastologista sejam anuais.

Em casos onde a mulher pertence a algum grupo de risco, como por exemplo, alguém da família já teve câncer de mama, o intervalo de avaliação deverá ser definido pela paciente junto ao médico.

Se você apresenta algumas das características acima, e ainda não foi ao mastologista, talvez esse seja o momento! Previna-se!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

FALE CONOSCO

× Como posso te ajudar?