BLOG

DIU: tipos, riscos e indicações

Tipos de DIU

Existem dois grandes grupos de DIU, o DIU hormonal e o DIU não hormonal.

Dentro dos hormonais, existem dois grandes grupos: um que tem um pouco mais de hormônio, outro que tem um pouco menos, um indicado para mulheres mais velhas e outro para mulheres mais jovens.

E existem dois tipos de DIU não hormonal, que são o DIU de cobre e o DIU de cobre revestido por prata.

Os dois também têm sua própria indicação, benefícios e malefícios, assim como qualquer outra medicação que você use.

O DIU pode causar algum problema?

Sim. Todo DIU pode ter um efeito colateral. Por exemplo, o DIU hormonal pode levar aos escapes de sangue. A paciente acaba tendo com frequência pequenos sangramentos que incomodam terrivelmente e às vezes levam até a retirada desse DIU de hormônio.

E o DIU não hormonal de cobre e de prata também pode causar um aumento de fluxo e cólicas que levam a paciente a retirar o DIU. Portanto, qualquer um dos tipos de DIU tem seus prós e seus contras.

É importante que o profissional que vai colocar o DIU explique para a paciente detalhadamente quais são os prós, os contras e as indicações.

É importante saber que o DIU também pode levar a infecções ginecológicas e infertilidade em casos de infecções ginecológicas mais graves. Isso é muito raro, mas existe a possibilidade.

O DIU pode perfurar o útero?

Raramente pode haver perfurações de útero. Caso isso aconteça, é preciso retirar o DIU da cavidade abdominal através de uma laparoscopia.

O DIU sai do lugar?

Pode sair do lugar. O DIU não hormonal (cobre e prata) costuma sair do lugar com mais frequência do que os DIUS hormonais.

Caso isso ocorra, alguns sintomas podem gerar, como:

  • sangramento;
  • dor;
  • cólica;
  • aumento da secreção vaginal.

Mais do que colocar o DIU, o importante é realizar o acompanhamento semestral do DIU.

Quem pode usar o DIU?

Atualmente o DIU é menor e mais fácil de colocar. Portanto, o DIU pode ser indicado para qualquer mulher que já tenha a vida sexual ativa, mesmo as mais jovens, desde que seja feito o acompanhamento adequado e o uso do preservativo seja associado.

Lembre-se que o DIU é um bom contraceptivo, mas está longe de ser um método que evite qualquer tipo de DST.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × um =

FALE CONOSCO

× Como posso te ajudar?