Logo Clínica Rubens do Val

Por que meus Seios ficam doloridos ao Amamentar? É normal?

Atualizado em 20/07/2023
Tempo de leitura: 4 min.

O início da amamentação pode ser doloroso para muitas mulheres. A causa mais comum de dor nas mamas durante a amamentação é a falta de "encaixe" entre a boca do bebê e o peito, mas há solução para isso, uma vez que seja identificada a causa.

A amamentação fortalece o vínculo entre mãe e filho. A criança que recebe leite materno adoece menos, fica mais protegida contra doenças. A mulher que amamenta fica mais protegida contra o câncer de mama e de ovário e diabetes. 

Algumas mulheres encontram mais dificuldades durante as mamadas, principalmente incômodo com os seios doloridos. Isto porque ambos precisam aprender e entrar em sintonia para o sucesso da amamentação.

Qual a importância e benefícios da amamentação? Clique aqui e saiba mais!

Principais causas das mamas doloridas

Mal posicionamento da mãe e do bebê

A mãe deve estar em uma posição confortável, podendo estar sentada, deitada ou em pé, desde que esteja relaxada, bem apoiada, não curvada para trás nem para a frente. Já o bebê deve estar calmo, com o corpo todo voltado para a mãe, alinhando a cabeça e o corpo do bebê; com rosto de frente para o seio materno, em uma posição confortável; bem apoiado pelo braço ou mão da mãe. É natural que, com o tempo, mãe e bebê encontrem a posição mais confortável para ambos. 

Posicionamento correto:

Pega incorreta

A pega ou forma como o bebê abocanha o seio materno. Muitas vezes, o ajuste da “pega correta” pode ser fator determinante para o processo de amamentação. 

Assim, o bebê deve abrir bem a boca, estando com o lábio inferior (debaixo) todo voltado para fora

É importante que ele abocanhe toda a maior parte escura visível do seio (aréola). Fique calma, o bebê não irá se afogar, e este fator é importante para que ele consiga sugar o seio. 

Para auxiliar na pega as mães são orientadas a fazer um “c” com o seio de forma que a aréola fique livre e o queixo do bebê toque o peito da mãe.

As mamadas não têm tempo de duração pré-estabelecido. Então, a criança pode mamar até que fique satisfeita. E nos primeiros dias o bebê pode alternar entre momentos de sugar e momentos de pausa ou até de soninho no peito. É importante permitir que ele faça esse processo, deixando que um peito se esvazie completamente antes de passar para o outro. 

Pega adequada:

  • A boca do bebê está bem aberta, com os lábios virados para fora (boquinha de peixe);
  • Além do mamilo, o bebê “abocanha” boa parte da aréola (a parte mais escura em torno do mamilo), de forma que ela fique mais visível na parte superior que na inferior;
  • Bochecha cheia, e não encovada enquanto suga;
  • O queixo do bebê encosta na mama e as narinas ficam livres para respirar;
  • O corpo do bebê está voltado para o corpo da mãe, barriga com barriga.

Ingurgitamento mamário

No processo de aleitamento materno pode ocorrer o ingurgitamento mamário. Nele, as mamas podem ficar avermelhadas, cheias, pesadas e doloridas. Nestes casos a chamada ordenha de alívio pode auxiliar. Ela é nada mais que a retirada do leite para evitar que as mamas fiquem endurecidas ou doloridas.

Como fazer a ordenha?  

Com a ponta dos dedos, fazer movimentos circulares em toda a área da mama e massagear bem os pontos endurecidos, que são acúmulo de leite.  A massagem deverá ser iniciada pela área ao redor do mamilo e seguindo até a base da mama em movimentos circulares.

“O leite materno após ser retirado do seio, pode ser armazenado para consumo do bebê ou doado para locais em que haja banco de leite humano. Caso contrário pode ser desprezado, já que a mãe voltará a produzir leite, sem que haja prejuízo para o aleitamento.” Ministério da saúde, 2022.

É normal que os seios fiquem doloridos ao amamentar?

Nos primeiros dias após o parto, as mamas estão se preparando para a produção e a descida do leite. É normal que a mulher sinta uma dor moderada nos seios. 

As mamas aumentam de tamanho, bem cheias e, algumas vezes, quentes. Todas essas modificações no corpo e a sucção do bebê podem provocar um pouco de desconforto ou dor nos primeiros cinco dias. O processo tende a diminuir mais rapidamente,  quando a amamentação é feita em livre demanda.

Entretanto, se a dor persistir por mais de uma semana ou os mamilos ficarem muito machucados, é importante averiguar com o médico de sua confiança a melhor forma de resolver o problema.

Agora você já sabe quais são as principais causas que fazem os seus seios ficarem doloridos ao amamentar. Preparamos essas 10 dicas para te ajudar a evitar sentir esse desconforto:

1. Lave os seios com água morna e um sabonete suave antes de amamentar;

2. Aplique uma compressa quente nos seios por 10-15 minutos antes de amamentar;

3. Use um suporte para os seios durante a amamentação;

4. Evite o uso de roupa apertada nos seios;

5. Não esprema os seios durante a amamentação;

6. Amamente de forma que o bebê fique bem posicionado no seio;

7. Não deixe o bebê mamar por longos períodos de tempo;

8. Ofereça o seio esquerdo primeiro e depois o seio direito;

9. Beba bastante água e mantenha uma dieta saudável;

10. Fale com o seu médico se o desconforto persistir.

Você não precisa ficar com dúvidas! Sempre que se sentir insegura ou perceber alguma alteração no seu corpo esteja desconfortável para você ou para o seu bebê, procure um médico para te ajudar.

Mastologista: quando é necessário procurar um especialista? Clique aqui e saiba mais!

Se você gostou das informações que acabou de ler, compartilhe essas informações para ajudar outras pessoas também.

Dr. Rubens do Val | Clínica Rubens do Val

Dr. Rubens Do Val

CRM: 58764
RQE: 17384 - Obstetrícia
RQE: 17385 - Ginecologia

A Clínica Rubens do Val atua há mais de 50 anos nas especialidades Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia, mantendo uma tradição familiar de dedicação e comprometimento com a saúde.
Agende sua consulta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 | 15 / 08 / 23
Descubra se é possível engravidar mesmo tendo a síndrome do ovário policístico e veja como é feito o tratamento desse problema ginecológico.
Ler Mais
Atenção: O site https://clinicarubensdoval.com.br/ é uma fonte para melhorar o acesso dos pacientes às informações. Não deve ser utilizado como um substituto do diagnóstico completo e preciso de uma consulta médica.
Responsável técnico: Dr. Rubens Do Val | CRM: 58764
RQE: 17384 - Obstetrícia | 17385 - Ginecologia
Agende sua consulta
Clínica Rubens Do Val © 2024
| Desenvolvido por Surya Marketing Médico.
Site atualizado em:
09:42 | 17/04/2024
magnifiercross